Loading...

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

CANAIS:É DE DIREITO, É PARA TODOS!

São praticamente 20 euros por mês ! Não é brincadeira! No fim do ano, vai-se a ver e ainda dava uns trocos. De que estou a falar?? Canais, televisão por cabo... Estas palavras dizem-lhe alguma coisa? Pois é! Qual a necessidade de estarmos a pagar, para vermos os canais nacionais a que todos temos direito? O Arquipélago da Madeira já não se pode queixar, mas nós não podemos dizer o mesmo! São sortes, são azares... Isto, para já não falar nas constantes discussões lá em casa. O marido quer assistir ao futebol, a esposa quer ver as novelas, já para não falar nos miúdos que insistem em por o DVD do «Finding Nemo». “ Vá lá , papá. Deixa ver o Nemo. Gosto muito!”.Todos os dias a mesma coisa. Tudo bem, há três televisões em casa, mas o Cabo está só numa!! Hello!! Vai dar ao mesmo! Depois cada um defende como pode, que o seu programa é o mais interessante de todos. “Isto do futebol não leva a lado nenhum. Ao menos com as novelas uma pessoa distrai-se um pouco” ou “ Vocês as mulheres com essas novelas”... O pior é que, ainda por cima, tentam convencer-se uns aos outros que o seu programa é o mais interessante. “Devias ver isto, sempre aprendias alguma coisa”... O argumento para aliviar a consciência! Sim, porque mal ou bem, a culpa não é de ninguém. Só que há sempre um ou mais “castigados”. O que não é muito agradável! Depois nos intervalos, lá a esposa ou o marido tem direito a uns quinze minutos do seu “mais-que-tudo” televisivo. E vai com sorte, porque se estivessem a transmitir dois desafios de futebol em canais diferentes... Ou um programa de moda num e uma novela no outro... Mas, fica sempre tudo igual. Quanto a quem vê o seu programa preferido é pura lotaria. Cada um espera vencer pelo cansaço (dos adversários”). Sim, porque mais cedo ou mais tarde alguém diz que vai dormir, que já não quer ver mais nada. E aí há sempre um vencedor, que acaba por ficar com o grande ecrã só para si, dando-se ao luxo de poder fazer zapping durante os intervalos. Sim, porque aquele programa não se pode perder. O que não invalida, que quando acabar este não possa escolher outro programa que lhe agrade. Agora, são tantas as hipóteses que a escolha já é interior. E diga-se de passagem é das piores... Acabamos por estar a ver um programa a pensar no outro e, por fim, não se resiste à tentação de ir “saltando” de um lado para o outro e vemos os dois em camadas, como um “charlotte”. Depois, os comentários são já parte da mobília. “Tem que vir cá alguém do Cabo, que isto assim não dá” ou, para os mais optimistas “Assim, que vierem os canais nacionais, já cada um vê o que quer. Já estou farto, todos os dias a mesma história”...Interessa, agora, saber quanto tempo esta situação vai durar. Os Açores tem o mesmo direito de ter os canais nacionais sem ter de pagar; tal como acontece no resto do país.É vergonhoso !!!
Raquel Moreira
Public in "Correio dos Açores", 2004.

Sem comentários: