Loading...

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Andar para matar a fome!

Nações Unidas: Marcha Mundial Contra a Fome


Angra do Heroísmo participa pelo segundo ano consecutivo na Marcha Mundial contra a Fome, organizada pela TNT e pelas Nações unidas. Uma iniciativa realizada em mais de 100 locais distintos e que, segundo Rui Matos, pretende alimentar as crianças que actualmente sofrem de fome crónica. Lisboa, Porto, Coimbra e Angra participam numa operação humanitária, que, em 2007, angariou a nível mundial um milhão e quinhentos mil dólares. Este ano, Portugal pretende contribuir com "cerca de 150 mil Euros", contando com a participação de 15 mil pessoas.

São milhões de crianças que morrem de fome todos os dias. Para atenuar esta calamidade, a TNT e as Nações Unidas organizam anualmente, a 1 de Junho, a Marcha Mundial Contra a Fome, iniciativa a realizar, este ano, em mais de 100 locais distintos.
O objectivo mundial deste evento, de cinco quilómetros, é erradicar a fome e a pobreza extrema no mundo até 2015.
Rui Matos, director de operações da TNT, explica que a marcha mundial contra a fome é uma "manifestação global", que surgiu em 2002 a nível mundial e, a nível nacional em 2004.
Em relação a 2007, revela que a nível global foram angariados "um milhão e quinhentos mil dólares", que serviram para alimentar mais de 30 mil crianças. Em Portugal, "participaram 110 mil pessoas e contribuímos com aproximadamente 68 mil Euros".
Em 2006, participaram 760 mil pessoas, em cerca 118 países, mais de 420 cidades, tendo sido angariados cerca de dois milhões de dólares em todo o Mundo. Portugal participou com mais de 6.000 pessoas.
Tem sido uma participação "crescente" nos últimos quatro anos, enfatiza, mas, este ano, "o desafio é muito maior", porque têm "não só o acompanhamento que tem sido feito a nível dos principais patrocinadores desta iniciativa e que tem sido muito importante, como também a nível de outras entidades e até organizações governamentais que têm estado, mais alerta para esta questão".
"Este ano, creio que iremos contar com a participação de 15 mil pessoas e poderemos contribuir com cerca de 150 mil Euros"- afirma, satisfeito.
Os principais patrocinadores desta iniciativa são o BES, a RTP e a Sportzone, mas têm ainda "inúmeras identidades, tanto câmaras municipais, como empresas multinacionais, que "apoiam e reconhecem" a iniciativa e desenvolvem já um certo "historial" com a organização.
A nível mundial são "mais de 100 locais" distintos, esclarece. Em Portugal realizar-se-ão marchas em Lisboa, Porto, Coimbra e em Angra do Heroísmo.
O director de operações da TNT avança ainda que, Angra do Heroísmo começou a participar nesta iniciativa em 2007. Já tinham desenvolvido o evento em São Miguel e na Horta, mas foi mesmo na fase do "arranque" e nesse ano tiveram uma "colaboração assinalável", por parte do centro cultural e de congressos de Angra do Heroísmo, nas pessoas de Luísa Brasil, Vereadora da câmara municipal, e Brigite Borges.
Salienta também as colaborações da Divisão de Acção Social da câmara da Praia da Vitória, nas pessoas de Fernanda Teixeira e Catarina Rocha e, da loja do Peter's, que tem "demonstrado sempre a sua disponibilidade e dado o seu contributo a este projecto"
na perspectiva da organização em si e de ser "um dos pontos de referencia para as inscrições" dos participantes na marcha – esclarece.
A expectativa para a marcha deste ano é de "15 mil pessoas a nível nacional". Em relação a Angra do Heroísmo esperam um "salto quantitativo muito importante", prevendo ter entre "500 a 100 pessoas, comparativamente ao ano passado, em que tivemos 250 ou 300 pessoas".
Rui Matos chama também a atenção para o facto da marcha contra a fome se enquadrar no World Food Programe e resultar de uma parceria entre as Nações Unidas e TNT Express, servindo todos estes fundos para "adquirir alimentos, que se destinam a crianças que sofrem neste momento com fome crónica". Falamos de um total de "300 milhões de crianças", segundo registos das Nações Unidas, das quais "mais de metade morre de fome ou de subnutrição"- ressalva.
Na sua opinião, esta parceria remarca a "experiência e o Know-How da TNT em termos operacionais e em meios aéreos e terrestres, para fazer chegar os alimentos adquiridos com essas verbas", conjuntamente com a experiência nos pontos mais "deficitários" em todo o mundo por parte das Nações Unidas e resulta numa certeza de que "são planos efectivos que têm uma redução no custo da entrega destes alimentos".
Falamos de "35 Euros"- salienta, afirmando ser quanto custa, "dentro do programa, alimentar uma criança o ano inteiro e providenciar todo o acompanhamento educacional, que está estipulado" dentro do projecto e da campanha do Millenium das Nações Unidas.
Para que se tenha uma ideia, "a participação de quatro pessoas na Marcha Contra a Fome resulta na alimentação de uma criança o ano inteiro", numa das zonas que possa estar mais desprovida, em qualquer parte do mundo.
Os fundos do programa destinam-se a escolas da Nicarágua, Cambodja, Gambia, Tanzânia e Malawi.
Em termos futuros, importa "continuar a sensibilizar e assinalar juntamente com as entidades governamentais, que esta é uma forma importante de sensibilizar toda a sociedade"- argumenta, considerando que a adesão por parte das empresas tem sido "crescente e muito importante", para que consigam "concretizar" este projecto todos os anos.
No dia da Marcha, as pessoas e as empresas têm "a noção que vão contribuir directamente". Trata-se de fazer chegar esta realidade à sociedade em termos de comunicação, sublinha.
Quanto ao facto de a nível regional, a iniciativa contar apenas com a participação de Angra do Heroísmo, avança não existir um "plano definido de todos os anos estar a marcar presença em locais diferentes", explicando estar relacionado com os meios e com o apoio que tem, por parte das entidades culturais ou das câmaras municipais.
"O apoio e suporte que temos tido do centro de congresso e da câmara de Angra tem-nos dado uma certa sustentabilidade no desenvolvimento deste projecto"- salienta, afirmando que, "nos próximos anos, outras entidades ou câmaras que estejam interessadas em apoiar este projecto, terão de certeza hipótese de avançar neste sentido".
Explica ainda que dentro dos meios operacionais, da colaboração das empresas e dos próprios colaboradores da TNT, que se deslocam às várias localidades para "apoiar, organizar e preparar a marcha" no dia em que esta se realiza, estão presentemente "limitados em termos de actuação em muitos mais locais, do que sejam estes. Mas daqui para a frente, certamente, poderão haver outras perspectivas"- contrapõe.
Quanto aos custos que envolvem participar num evento desta natureza, afirma que o projecto tem envolvido "muita participação a nível dos sponseurs, nos transportes, por exemplo", e em alguns dos casos esta participação nem é "quantificável".
Curiosamente, existem alimentos suficientes para alimentar toda a população mundial durante quase meio século. Mesmo assim, a fome e a subnutrição são as causas de mais de metade do número total de mortes de crianças, provocando, todos os anos, a morte de aproximadamente 6 milhões de crianças. Pode ser fornecida uma refeição escolar a uma criança, pela irrisória quantia de 16 cêntimos por dia.
A organização do Walk the World tem o apoio logístico de câmaras municipais, da PSP, entre outras. Para divulgar o evento foi celebrado um protocolo com a RTP, no sentido de promover a participação nesta iniciativa. Ao nível dos media partners, além da RTP, contribuem ainda para a divulgação desta iniciativa a Antena 1 e o Jornal de Notícias.
O projecto Walk the World iniciou-se em 2003, com a participação de 10 países asiáticos, tendo sido alargado a 70 países em todo o mundo, no ano de 2004, com o objectivo de combater a fome de 30.000 crianças a nível mundial.
Em 2007, o Fight Hunger – Walk the World – Marchas contra a Fome contou com a participação de 550.000 mil pessoas, em 93 países e 300 cidades, permitindo alimentar pelo menos 25 mil crianças durante um ano. A nível global, os participantes cobriram uma distância de mais de um milhão de quilómetros, o equivalente a 25 voltas à Terra. O World Food Programme é a maior organização humanitária das Nações Unidas, o seu braço logístico, doando anualmente alimentos a uma média de 90 milhões de pessoas, para corresponder às suas necessidades de nutrição, incluindo 56 milhões de crianças com fome, em pelo menos 80 dos países mais pobre do mundo. Um dos objectivos, este ano, é aglomerar dois milhões de euros. O outro é relembrar que, "num Mundo que produz alimentos suficientes para todas as pessoas, morrem diariamente de fome cerca de 18 mil crianças", diz o comunicado da World Food Programme, programa que nos permite participar no maior desafio logístico de sempre, 'ajudar a alimentar o Mundo'.
A TNT comprometeu-se a partilhar os seus custos e conhecimentos, contando com a dedicação e entusiasmo de 160.000 colaboradores. Esta é a maior companhia europeia de distribuição expresso e uma das líderes mundiais na sua especialidade. A TNT Portugal integra-se no grupo TNT (Thomas National Transport) e a sua origem remonta a 1947.
A Organização das Nações Unidas (ONU) foi fundada oficialmente a 24 de Outubro de 1945, em São Francisco, na Califórnia, por 51 países, após o final da Segunda Guerra Mundial. A primeira Assembleia-Geral foi celebrada a 10 de Janeiro de 1946 em Westminster Central Hall, Londres), sendo a sede actual em Nova Iorque.
Eventuais donativos poderão ser depositados numa conta bancária, aberta unicamente e exclusivamente para o walk the world, com o seguinte NIB: 0007 0576 0000 3800018 84. As empresas e instituições que se associarem a este evento, poderão fazê-lo através da contribuição de 500 euros, beneficiando, assim, de uma oferta de 30 bonés e 30
t-shirts.

Raquel Moreira
Public in Terra Nostra, Maio de 2008.

Sem comentários: